Os intocáveis

Erik Ravelo - Os intocáveis

A primeira imagem refere-se à pedofilia no Vaticano. A segunda, ao abuso sexual de crianças no turismo na Tailândia, a terceira refere-se à guerra na Síria. A quarta imagem, ao tráfico de órgãos no mercado negro, onde a maioria das vítimas são crianças de países pobres. A quinta refere-se a indústria das armas. E, finalmente, a sexta imagem refere-se a obesidade, culpando as grandes empresas de fast food.

Os intocáveis“, uma série do fotógrafo Erik Ravelo

Em fuga

2015

Renato Dos Santos II adicionou 3 novas fotos. Para quem ainda não entendeu o que significa ter que fugir para não ter que morrer pela guerra e pela fome, aqui vai algumas fotos elucidativas desta tragédia.
Para quem ainda não entendeu o que significa ter que fugir para não ter que morrer pela guerra e pela fome, umas fotos elucidativas . Fonte: Renato Dos Santos II                
                                                                        Saiba mais visitando a página violência.
                                             

11 de setembro

Prisões

Não basta punir, é preciso tratar

Fonte da fotografia

Kevin Carter (Final)

Kevin Carter (13/09/1960 – 27/07/1994) foi o “maldito” fotógrafo sul-africano que ganhou o prêmio Pulitzer de 1994 pela foto acima, onde uma menina sudanesa se arrasta em campo aberto vencida pela desnutrição. Na espreita, um abutre na iminência do instintivo ataque.

Após ganhar o prêmio, Carter fez uma impiedosa autocrítica por fotografar a pequena garota. Segundo ele, apenas ”espantou momentaneamente” o abutre e depois seguiu o seu caminho, ignorando o que poderia ocorrer de novo na macabra cena.

“Um homem ajustando suas lentes para tirar o melhor enquadramento do sofrimento dela talvez tambem seja um predador, outro abutre na cena.”

Em 27 de julho de 1994, quase dois meses depois de receber o pulitzer, dirigiu seu carro até um local da sua infância e suicidou-se utilizando uma mangueira para levar a fumaça do escape para dentro do automóvel. Tinha 33 anos de idade e deixou uma nota sobre seu suicídio. Numa parte do texto ele registra:

“Estou deprimido… sem telefone… sem dinheiro para o aluguel… sem dinheiro para ajudar as crianças… sem dinheiro para as dívidas… dinheiro!!!… Sou perseguido pela viva lembrança de assassinatos, cadáveres, raiva e dor… pelas crianças feridas ou famintas… pelos homens malucos com o dedo no gatilho, muitas vezes policiais, carrascos…”

Fonte

Violência no Rio

Mais

Kevin Carter (1960/1994)

Mano-negra_mano-blanca