Guerra e Paz

O aritsta russo Sergey Larenkov é um profissional que  retrata uma situação de caos total reorganizada… Mais

“Meu Corpo Meus Direitos”

140306112630_mybody4_439x549_pa

140306111733_mybody1_976x549_pa(1)140306113018_mybody7_439x549_pa140306112458_mybody3_976x549_pa

A Anistia Internacional lançou em março deste ano uma campanha global de dois anos que visa combater a repressão e a violência sexual contra mulheres e jovens. Para o lançamento da campanha, a organização encomendou os trabalhos de pintura corporal da artista chinesa Hikaru Cho, que vive no Japão . Saiba mais.

Um Motim Infantil

Yaser Safi

Violência, mulher e arte

10

Assista o tour da exposição internacional Off the Beaten Path: Violence, Women and Art

Em todo o mundo, as mulheres e as meninas são vítimas de inúmeros  atos de violência sem sentido. A gama de violência baseada no gênero é devastador, ocorrendo, literalmente, desde o ventre ao túmulo. Ela ocorre em todos os segmentos da sociedade, independentemente de classe, etnia, cultura, ou se o país está em paz ou guerra…  mais

 

Arte e Violência

Hieronymus Bosch

Hieronymus Bosch

Leia “Arte e Violência”  por  Carlo Sansolo

A copa

Os Medos

Shuli Bar Navon

Shuli Bar Navon no Facebook

Veja texto Insegurança e medo na infância 

Maria da Penha

Maria da Penha encara a foto para o passaporte, quando foi conhecer a Argentina

Foto para o primeiro passaporte

Maria da Penha tem sono pesado. Capota e só acorda no dia seguinte. Na madrugada de 29 de maio de 1983, porém, teve seu repouso interrompido pelo pior pesadelo da vida…

Leia mais aqui.

Como a história vai lembrar de nós?

Guarani – Kaiowá

Uma carta assinada pelos líderes indígenas da aldeia Guarani-Kaiowá, do Mato Grosso do Sul, e remetida ao Conselho Indigenista Missionário (CIMI), anuncia o suicídio coletivo de 170 homens, mulheres e crianças se a Justiça Federal mandar retirar o grupo da Fazenda Cambará, onde estão acampados provisoriamente às margens do rio Hovy, no município de Naviraí. Os índios pedem há vários anos a demarcação das suas terras tradicionais, hoje ocupadas por fazendeiros e guardadas por pistoleiros. O líder do PV na Câmara, deputado Sarney Filho (MA), enviou carta ao ministro da Justiça pedindo providências para evitar a tragédia.

Leia a carta

Discurso memorável

O que você quer ser quando crescer?

Apelo a nossa consciência

Este vídeo mostra uma ilha que se encontra no meio do oceano Pacífico, a 2.000 km de qualquer costa. Ninguém habita esta ilha exceto pássaros. E contudo….vejam o que se passa.

Canto sem fronteira


Uma campanha em que cada um de nós pode fazer a diferença.
Permita que aves cantem em liberdade.
Divulgue o vídeo.

Kathe Kollwitz (1867-1945).

Leia A palmada não educa

Fernando Botero (1932)

Quem se importa

QUEM SE IMPORTA é um documentário longa metragem sobre empreendedores sociais no Brasil e ao redor do mundo. Pessoas brilhantes, que criaram, cada qual, uma organização inovadora capaz de não só mudar a sociedade ao seu redor, mas também causar impacto social suficiente para que estas idéias possam virar políticas públicas aplicadas em várias partes

Pablo Picasso (1881/1973)

Criança Segurando um pombo (1901)

Criança Segurando um pombo (1901)

Leia página sobre violência em crianças

Saiba mais

Amor e Paz

Sagrada Família de Murillo

11 de setembro

O inicio

Visite a página Crianças

Em um mundo melhor

Em Um Mundo Melhor conta a história de Anton, um médico que divide sua vida numa idílica cidade da Dinamarca com o trabalho num campo de refugiados africanos. Nesses dois mundos distintos, ele e sua família enfrentam conflitos que os levam à difícil escolha entre a vingança e o perdão.

Mais

James Ensor (1860/1949)

Óleo sobre tela de James Ensor, 1891.

A natureza grotesca do quadro reflete a própria visão do artista: um mundo regido pelo absurdo, no qual pensamentos desconexos e ações fúteis desempenham um papel grande demais.

Fonte: O livro da Arte – Publifolha

Crianças: A importância do exemplo

Filme de Theo Angelopoulos


Paisagem na Neblina começa no escuro e termina na luz, o foco recai sobre os contos de fada e o mito, deixando o papel da História (e os mundo dos adultos) de lado. Gira em torno de um pai ausente (que, na verdade, não existe mesmo) e uma mãe que existe, mas é tão ausente que é como se não existisse.

Fonte

Veja aqui um importante vídeo sobre o tema.

Devastação

O artista criou um conjunto de grandes pinturas tridimensionais explorando as devastações da guerra e do meio ambiente causados ​​pelos recentes conflitos na Europa Oriental e Oriente Médio.

Obra de Gerry Judah

Melhorias?


Autor: Glenn Jones

Leia mais sobre pássaros aqui .

Rio, o filme

Aventuras de uma arara azul perseguida por contrabandistas de animais. Carlos Saldanha é o brasileiro responsável pela direção do filme.

Mais

Antoni Tàpies (1923)

Sobre o artista e sua obra

Mais

Perplexidade


Opinião

Prisões

Não basta punir, é preciso tratar

Fonte da fotografia

Walter Salles (1956)

Linha de Passe - Direção de Walter Salles

No coração de uma das maiores metrópoles do mundo, quatro irmãos tentam reinventar suas vidas. Reginaldo, o mais novo, procura obstinadamente seu pai, que nunca conheceu. Dario, sonha com uma carreira como jogador de futebol profissional. Dinho, frentista em um posto de gasolina, busca na religião o refúgio para um passado obscuro. Dênis, o mais velho, é pai e ganha a vida como motoboy. No centro desta família está Cleuza, 42 anos, grávida do quinto filho. Ela trabalha duro como empregada doméstica enquanto luta para manter os filhos na linha. Para sobreviver à brutalidade de uma cidade onde as oportunidades se afunilam, eles só podem contar um com o outro..

Mais

Estrada para Perdição

Filme dirigido por Sam Mendes
Tudo acontece nos EUA da época da Depressão e da Lei Seca, quando gângsteres e mafiosos dominam o país. Michael Sullivan (Tom Hanks) é um deles. Ele trabalha para o poderoso John Rooney (Paul Newman, excelente aos 77 anos), que o criou como um filho. O pequeno Michael Jr. (Tyler Hoechlin), assim como todo menino, tem curiosidade em saber como é exatamente o trabalho de seu pai, mas por motivos óbvios esse assunto é proibido na família. Até o dia em que o garoto se esconde no carro do pai e finalmente presencia uma parte do seu “trabalho”: um verdadeiro banho de sangue. Em segundos, Michael Jr. não é mais apenas uma criança. Agora ele é testemunha de um violento assassinato, e está marcado para morrer. Desesperado e determinado, seu pai está disposto a tudo para não somente proteger a vida do filho, como também para evitar que ele cresça dentro de uma carreira de crimes.

Texto: Celso Sabadin, jornalista e crítico de cinema da Rádio CBN.

Crianças Invisíveis

O filme Crianças Invisíveis reúne sete curtas-metragens realizados no Brasil, Itália, Inglaterra, Sérvia e Montenegro, Burkina Faso, China e Estados Unidos, dirigidos por cineastas consagrados como o chinês John Woo, o inglês Ridley Scott, o americano Spike Lee, o iugoslavo Emir Kusturica e a brasileira Kátia Lund.

O objetivo do projeto é chamar a atenção de governos e da sociedade civil para os milhares de crianças e adolescentes excluídos e invisíveis do mundo: jovens afetados pelo HIV; jovens que vivem sem suas famílias; jovens que participam de confrontos armados, jovens discriminados por fatores raciais ou étnicos.

… Considerado um dos melhores e mais emocionantes episódios do filme, ‘Bilu e João’, da brasileira Kátia Lund, mostra o cotidiano de uma menina e um menino que coletam materiais nos lixos de São Paulo.

“Essas não são crianças invisíveis no sentido estrito, porque estão presentes nas janelas dos nossos carros, mas são invisíveis porque, às vezes, preferimos vê-las, mas não enxergá-las”, afirma a representante do Unicef no Brasil, Marie-Pierre Poirier.

Fonte

Violência urbana

Humberto Abad

Leia texto

Kevin Carter (Final)

Kevin Carter (13/09/1960 – 27/07/1994) foi o “maldito” fotógrafo sul-africano que ganhou o prêmio Pulitzer de 1994 pela foto acima, onde uma menina sudanesa se arrasta em campo aberto vencida pela desnutrição. Na espreita, um abutre na iminência do instintivo ataque.

Após ganhar o prêmio, Carter fez uma impiedosa autocrítica por fotografar a pequena garota. Segundo ele, apenas ”espantou momentaneamente” o abutre e depois seguiu o seu caminho, ignorando o que poderia ocorrer de novo na macabra cena.

“Um homem ajustando suas lentes para tirar o melhor enquadramento do sofrimento dela talvez tambem seja um predador, outro abutre na cena.”

Em 27 de julho de 1994, quase dois meses depois de receber o pulitzer, dirigiu seu carro até um local da sua infância e suicidou-se utilizando uma mangueira para levar a fumaça do escape para dentro do automóvel. Tinha 33 anos de idade e deixou uma nota sobre seu suicídio. Numa parte do texto ele registra:

“Estou deprimido… sem telefone… sem dinheiro para o aluguel… sem dinheiro para ajudar as crianças… sem dinheiro para as dívidas… dinheiro!!!… Sou perseguido pela viva lembrança de assassinatos, cadáveres, raiva e dor… pelas crianças feridas ou famintas… pelos homens malucos com o dedo no gatilho, muitas vezes policiais, carrascos…”

Fonte

Gil Vicente (1958)

A obra de Gil Vicente traduz um incômodo perante os modos de representação política vigentes. Transporta uma desilusão profunda sobre a possibilidade de mudanças realizadas por meio de lideranças formalmente constituídas, denunciando um esgotamento que, em muitas ocasiões, tem levado ao confronto violento. Em seu trabalho, Gil Vicente não busca a confusão entre arte e crime, mas antes a substituição do crime como ato pela criação de sua imagem explícita. Em Inimigos o artista assume, em desenhos realistas feitos em carvão sobre papel em escala natural, o papel de assassino de diversos dirigentes políticos, os quais, atuando em âmbitos geográficos diversos, são portadores de visões distintas, quando não conflitantes, do mundo.

Fonte

Cândido Portinari (1903/1962)

Futebol e morte ?

Violência no Rio

Mais

No violência

“No violência”, escultura de Karl Fredrik Reutersward, colocada na entrada da sede das Nações Unidas, em Nova York. Foto da ONU

Guerra

Cildo Meireles (1948)


Cildo Meireles é um dos artistas mais importantes da arte contemporânea brasileira. Seu trabalho, pioneiro no campo da arte da instalação, prima pela diversidade de suportes, técnicas e materiais, apontando quase sempre para questões mais amplas, de natureza política e social.

Concebida em 1967, a obra Desvio para o Vermelho foi montada em diferentes versões desde 1984 e exibida em Inhotim em caráter permanente a partir de 2006. A obra é formada por três ambientes articulados entre si: no primeiro deles (Impregnação) nos deparamos com uma exaustiva coleção monocromática de móveis, objetos e obras de arte em diferentes tons, reunidos de uma maneira improvável. Nos ambientes seguintes, Entorno e Desvio, acontece o mesmo fenômeno da primeira sala, a cor satura a matéria, se transformando em matéria.

Aberta a uma série de simbolismos e metáforas, desde a violência do sangue até conotações ideológicas, o que a obra oferece é uma seqüência de impactos sensoriais e psicológicos ao espectador: uma série de falsas lógicas que nos devolvem sempre a um mesmo ponto de partida.

Fonte

Kevin Carter (1960/1994)

Mano-negra_mano-blanca

Amy Casey

Nunca se sabe quando tudo pode ser dizimado pelo mais leve dos ventos, talvez um simples sopro pode acabar com tudo outra vez. A noção de comunidade é conflitante, pois mesmo criando laços visivelmente presentes e até necessários, Amy Casey deixa claro que estes laços são extremamente sutis e frágeis e se houver algum ser humano vivendo dentro destas construções, eles estarão vivendo em um constante estado de medo, sem saber o que pode acontecer no próximo segundo.


Mais

Philip Toledano

Mais

Jeannette Woitzik

Paisagem

Frank Krajcberg (1921)


O polonês Frank Krajcberg, que, fugindo da Europa devastada pela guerra, passou a viver no Mato Grosso a partir de 1948, iniciando uma campanha pela preservação da natureza.

“Trabalho para sensibilizar as pessoas, já que tudo o que há no planeta tem direito a sobreviver e existir”, afirma o artista.

A vida secreta das palavras


Neste filme, Isabel Coixet constrói uma atmosfera íntima, triste, poética, angustiante, bela e melancólica, e enche de conteúdo duas personagens misteriosas, intrigantes e comovedoras. Tudo isto sem abusar de sentimentalismos, equilibrando-se entre a emoção e o sorriso, entre a crueldade e a esperança.
Através de uma abordagem madura, sincera e profunda das misérias (e algumas virtudes) do ser humano, Isabel Coixet mostra-nos, de novo, as imensas cores das palavras.

Oscar Ciutat

O olhar em cativeiro

Em 2008, o fotógrafo espanhol Oscar Ciutat teve a idéia de captar, em detalhes, o olhar de diversos animais mantidos em cativeiro no zoológico de Barcelona. O objetivo era saber se as imagens mostrariam a falta de liberdade presente no cotidiano destes animais. O resultado é a série fotográfica Caged, uma verdadeira comprovação de que os olhos são o espelho da alma.

Hipopótamos, elefantes, ovelhas, rinocerontes…animais diferentes entre si, com o mesmo semblante em comum: o olhar vazio que parece transmitir melancolia, alheamento e tristeza, como se fossem conscientes da sua real condição. Um olhar semelhante ao de seres humanos que já passaram boa parte de suas vidas em uma prisão.

Com este trabalho, Ciutat levanta uma questão interessante: a validade dos zoológicos como ferramenta de proteção aos animais e educação ambiental. É sabido que um animal em cativeiro sofre uma série de alterações comportamentais por estar privado de seu habitat natural e de estímulos adequados para o seu desenvolvimento. A exposição ao grande público, que nem sempre demonstra respeito para com os animais, também não contribui.

Fonte
Mais

François Robert

Ossos humanos contra a violência

Mais

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.